Área restrita

Notícias

Tudo sobre rejunte

Apesar de sugerir ser apenas mais um elemento ligado ao acabamento, o rejunte tem diversas finalidades importantes. Rejunte é impermeabilizante (mas não do jeito que você pensa!), impedindo a ocorrência de infiltrações que causariam danos na aderência dos revestimentos.

 

O que é rejunte?

É o elemento que proporciona, graças à sua flexibilidade, o não aparecimento de trincas ao longo da superfície revestida, além disso, por ser mais mole, pode ser facilmente cortado para que peças do revestimento danificadas possam ser substituídas.

 

Sua aplicação ou troca demandam diversos cuidados, abaixo mostraremos um pouco do que pode acontecer com o rejunte, se ele for manipulado e aplicado de forma incorreta:

 

Por que o rejunte solta?

Essencialmente há pelo menos duas causas: existência de sujeira nas juntas e dosagem de água inferior à necessária na mistura.

 

Para evitar, siga os seguintes cuidados:

  • Antes de aplicar o rejunte, as juntas devem ser limpas por escovas não abrasivas, ou, se possível, lavando com água, assim todo o pó e partículas maiores serão removidas antes da aplicação do rejunte, permitindo dessa forma que haja contato apenas com partes firmes.
  • O rejunte misturado com pouca água fica “pesado” e muito mais difícil de ser aplicado, assim, ocorrem inúmeros espaços vazios que comprometem a integridade e a resistência dele. Por isso, siga sempre as instruções do fabricante constante nas embalagens.

 

Por que o rejunte trinca?

A principal causa das trincas que aparecem no rejunte são causadas pelo excesso de água na sua mistura.

 

Para se precaver:

  • A água em excesso pode vir de erro na dosagem, incorporando mais água que o necessário ou ainda pela umidade, que eventualmente pode haver nas juntas por causa da limpeza prévia com água. As trincas são causadas pela evaporação da água em excesso durante o processo de cura. Por isso, é fundamental seguir as orientações do fabricante e sobretudo, nunca aplicar o rejunte sobre o piso úmido.

 

Por que o rejunte mancha?

Se as manchas aparecem logo após a cura e são concentradas, significa que durante o preparo dele houve contaminação.

 

Cuidado básico:

  • Apesar de errado, nas obras, o rejunte normalmente é preparado em recipientes improvisados, assim, se não for feita uma boa limpeza antes de misturá-lo a existência de outros resíduos será incorporada na mistura, assim que houver a cura as manchas aparecerão. Portanto, limpar os recipientes com cuidado evita esse grave defeito.

 

Por que o rejunte esfarela?

Basicamente pela presença de umidade no substrato.

 

Atenção:

  • A presença de umidade na área de aplicação do rejunte, além dos problemas indicados acima, pode ainda diminuir drasticamente a resistência mecânica dele, provocando o esfarelamento. Como o rejunte faz parte do acabamento e é aplicado quase no fim da obra, sempre há muita pressa para a conclusão, assim, após limpar, não resta alternativa, senão aguardar a secagem.
  • Nos casos, onde a substituição do rejunte for necessária, seja em fachadas ou pisos é muito importante que o rejunte existente seja removido da maneira mais profunda possível e com ferramentas adequadas. A aplicação do novo só poderá ocorrer após a limpeza e secagem da superfície.

 

Qual rejunte usar?

Existem três tipos de rejunte:

  • Cimentício
  • Acrílico
  • Epóxi

 

A escolha independe do tipo de revestimento aplicado, ou da exposição ou não às intempéries, todos, desde que de boa qualidade preenchem os mesmos requisitos técnicos.

Rejunte é tudo igual?

Os rejuntes diferem-se pela: aparência do acabamento, preço, dificuldade de aplicação, tamanho da junta e limpeza da superfície.

 

Na mesma ordem vamos detalhar:

  • Um revestimento nobre sugere um rejunte com aparência refinada, então, o epóxi, que tem acabamento mais liso é mais interessante, da mesma forma, se o rejunte aplicado for numa calçada ou em uma área menos nobre, o rejunte cimentício, apesar de mais poroso, cumprirá sua função, restando ao acrílico o posto de acabamento intermediário.
  • O preço dos rejuntes varia em função do tipo, sendo o cimentício o mais barato e o epóxi o mais caro.
  • Durante a aplicação, o rejunte epóxi traz grande complexidade e exige a presença de um profissional qualificado para a aplicação. A ocorrência de rebarbas, pode provocar a necessidade de substituição da cerâmica adjacente. Logo se pressupõe mão de obra mais cara.
  • Cada tipo de rejunte permite trabalhar com juntas estreitas ou mais grossas. No caso do cimentício a junta mínima é de 3 mm, no caso dos outros, no mínimo 1 mm. Isso pode ser decisivo na sua escolha.
  • Quanto a limpeza do rejunte durante o uso da edificação, subentende-se que quanto mais liso, mais fácil de manter limpo.

 

Rejunte é impermeabilizante?

Não se engane!

Apesar das propriedades impermeabilizantes do rejunte, em hipótese alguma ele substitui, nos casos de impermeabilização de lajes, por exemplo, os já consagrados sistemas monolíticos. Sua função está ligada à impedir a ocorrência de infiltrações que causariam danos na aderência dos revestimentos.

Fonte: FiberSals